quarta-feira, 4 de maio de 2011



Em uma ótima matéria assinada pela jornalista Isabel Butcher, nosso rádio foi lembrado em meia página no jornal mais lido no País. Se já é uma surpresa estar em meia página, imagine agora o conteúdo da matéria: o radioteatro está de volta!
 
As Rádios MEC e Nacional (EBC) estão empenhadas em trazer de volta a bela época das histórias contadas por vozes imaginárias. A diretora do núcleo, Marília Martins, ex aluna da Escola de Rádio, esta apostando em releituras de clássicos brasileiros em até 30 minutos de duração. Na última vez que encontrei o gerente regional da rádio MEC, Cristiano Menezes, ele falou do projeto e das dificuldades que estariam enfrentando para produzir radionovelas, talvez venha daí a idéia em fazer contos de vinte a trinta minutos. Precisam afinar as produções e orçamentos para as novelas.
 
Ainda segunda a matéria, de 1943 a 1945 foram veiculadas 116 novelas (!). Número bem alto mesmo para época de ouro do rádio nacional. Agora a tecnologia que impulsiona o meio pode facilitar as produções. O resgate desta tradição do rádio é mais um caminho que podemos seguir nestes tempos de incerteza do caminho a seguir. A tecnologia digital parece que emperrou.
Se o rádio digital começar a transmissão hoje, nada será surpresa. A proliferação de emissoras já existe na internet, a qualidade de transmissão também, o comércio eletrônico nas webs também são realidade há meses. Todas as novidades do rádio digital já nos foram apresentadas pela internet.
 
Quando falo que o conteúdo é mais importante que as formas de transmissão estou me referindo a essa matéria que traz a possível volta da radionovela. Sinceramente, nos dias de hoje, prefiro me empolgar com estas notícias a me empolgar com um rádio digital que vai nascer obsoleto. Parabéns a equipe da EBC! Desta forma o rádio volta a ser notícia.


Em uma ótima matéria assinada pela jornalista Isabel Butcher, nosso rádio foi lembrado em meia página no jornal mais lido no País. Se já é uma surpresa estar em meia página, imagine agora o conteúdo da matéria: o radioteatro está de volta!
 
As Rádios MEC e Nacional (EBC) estão empenhadas em trazer de volta a bela época das histórias contadas por vozes imaginárias. A diretora do núcleo, Marília Martins, ex aluna da Escola de Rádio, esta apostando em releituras de clássicos brasileiros em até 30 minutos de duração. Na última vez que encontrei o gerente regional da rádio MEC, Cristiano Menezes, ele falou do projeto e das dificuldades que estariam enfrentando para produzir radionovelas, talvez venha daí a idéia em fazer contos de vinte a trinta minutos. Precisam afinar as produções e orçamentos para as novelas.
 
Ainda segunda a matéria, de 1943 a 1945 foram veiculadas 116 novelas (!). Número bem alto mesmo para época de ouro do rádio nacional. Agora a tecnologia que impulsiona o meio pode facilitar as produções. O resgate desta tradição do rádio é mais um caminho que podemos seguir nestes tempos de incerteza do caminho a seguir. A tecnologia digital parece que emperrou.
Se o rádio digital começar a transmissão hoje, nada será surpresa. A proliferação de emissoras já existe na internet, a qualidade de transmissão também, o comércio eletrônico nas webs também são realidade há meses. Todas as novidades do rádio digital já nos foram apresentadas pela internet.
 
Quando falo que o conteúdo é mais importante que as formas de transmissão estou me referindo a essa matéria que traz a possível volta da radionovela. Sinceramente, nos dias de hoje, prefiro me empolgar com estas notícias a me empolgar com um rádio digital que vai nascer obsoleto. Parabéns a equipe da EBC! Desta forma o rádio volta a ser notícia.